domingo, 3 de abril de 2011

recém caído

Uma pequena crença em pequenas histórias fez com que seus guias de escrita deixassem a luz ligada aquela noite. E mesmo que insistisse em apagar a luz de toda a escada até seu quarto e jogar seu cobertor de estrelas pela janela, estaria envolvido pelo do céu da noite. Este, furado por brilhos de cores fracas, deixava espaço pro frio entrar.

- Quando eu vim, passei por um desses buracos.

4 comentários:

  1. Super fofo, como tudo o que você já faz. Te amo. <3

    ResponderExcluir
  2. Muito bem senhor, vamos à prosa, então!

    ResponderExcluir
  3. Realismo fantástico ou prosa poética?! Posso ficar com os dois?!

    ResponderExcluir